O que considerar ao elaborar o planejamento tributário 2020?

imagem

Neste artigo vamos ver o que considerar ao elaborar o planejamento tributário 2020.

Regime tributário: cálculos e projeções apontam qual o regime mais vantajoso para a empresa

regime tributário (Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples Nacional) que a empresa adotará em 2020 deve ser definido no começo do ano. Esta escolha deve estar alinhada ao porte, segmento e previsão de faturamento, entre outras variáveis.

Caso opte pelo Simples Nacional, a mudança pode ser feita até 30 de janeiro. Se a opção para sua empresa for pelo regime de Lucro Presumido ou Lucro Real, o limite é a data de pagamento da primeira guia de vencimento do ano.

Esta opção vai vigorar ao longo de todo o ano-calendário. O enquadramento correto é um aspecto decisivo para o sucesso de seu negócio. Uma escolha errada pode representar prejuízos, levando sua empresa a desembolsar mais com impostos, e também problemas com o Fisco.

Benefícios fiscais: oportunidades tributárias que vão fazer a diferença

Recorrer a benefícios fiscais em âmbito federal, estadual e municipal tem potencial para reduzir o peso da carga tributária, mantendo a eficiência e a competitividade de seu negócio. Aí pode estar o diferencial que a empresa tanto busca para aperfeiçoar as finanças.

O contribuinte deve estar atento aos regimes especiais que contemplam negócios de diferentes setores produtivos.

Com o devido planejamento, é possível se beneficiar da “guerra fiscal” travada entre os estados para, dentro da legalidade, obter vantagens e gastar menos com os tributos.

Por outro lado, é preciso identificar as demandas do negócio e traçar um estudo detalhado do segmento de atuação para verificar a possibilidade de aproveitamento desses benefícios.

Recuperação de créditos tributários: minimizando o impacto dos impostos

Não é incomum que negócios se percam diante do emaranhado de obrigações tributárias. Por isso, é válido verificar a ocorrência de pagamentos feitos em duplicidade ou a maior para tributos como INSS, PIS, COFINS, IR, ICMS e ISS.

A recuperação de créditos tributários é uma alternativa legal para reaver o dinheiro destinado de forma equivocada para arcar com impostos. Esse processo deve integrar uma avaliação muito mais ampla, com o levantamento de informações detalhadas sobre o seu negócio.

Cabe esclarecer que as formas de resgate e também o uso dos créditos variam conforme o imposto. Tanto é possível resgatar créditos por meio de compensação ou recebimento de precatórios, como utilizá-los para o pagamento de fornecedores (caso de alguns estados).

Agora você já sabe o que considerar ao elaborar o planejamento tributário 2020.

ORÇAMENTO
Open chat
Powered by